Histórias de Sucesso

Internet Por Cabo Delgado
Internet Por Cabo Delgado

Sabemos da sua preocupação com os seus semelhantes à volta do mundo. Somos a JOINT liga de ONGs em Moçambique Umbrela de Organizações da Sociedade civil em Moçambique. Estamos prontos para garantir que a sua contribuição chegue as mulheres chefes de família, jovens, raparigas e crianças vítimas das atrocidades terroristas em Cabo Delgado, através de abordagens coordenadas com o Governo para o alívio de emergência e programas reinserção social dos deslocados. Use este canal para fazer a sua contribuição!

Histórias de Sucesso

Marcha da Mulher
Marcha da Mulher

A marcha que foi organizada por organizações da sociedade civil nomeadamente JOINT, CEDES, IMD, FORUM MULHER E LAVATSONGO visava incentivar as mulheres a se envolverem massivamente no processo eleitoral que se avizinha, igualmente visava chamar atenção aos partidos políticos sobre a necessidade de inclusão das mulheres nos lugares cimeiros de suas organizações. A marcha teve inicio as 8:00h na estátua Eduardo Mondlane no bairro do Alto Maé, tendo sido o percurso pela Av. Eduardo Mondlane, passando pela Karl Marx e desaguado na praça da independência. Durante o percurso mulheres e homens entoavam cancões de apoio e incentivo a mulher. Entre os cânticos ouvia-se clamores como: “Nós mulheres, mulheres moçambicanas, não queremos estar em baixo, nós mulheres, mulheres moçambicanas, queremos também estar em cima”. Um cântico que nos remete a um claro repúdio a subalternidade da mulher perante o homem que tem vigorado no país. Já na Praça da Independência, sob moderação da JOINT-Liga de ONGs em Moçambique, cumpriu-se com um programa que previa oração de abertura, discursos das organizações da sociedade civil representadas, momento cultural e discurso dos partidos políticos. Coube ao Pastor Osvaldo, do CEDES proceder com a oração de abertura, seguido das intervenções da OSC nomeadamente JOINT, CEDES, IMD e FORUM MULHER. Estas que foram unânimes em vincar o papel da mulher e sua importância no espaço político e nas eleições. Reiteraram a necessidade de os partidos políticos comprometerem-se com a luta de emponderamento da mulher. Para estas eleições, tem de haver mais mulheres cabeças de lista à governadoras provinciais, mais mulheres na Assembleia da Republica, pois as mulheres não devem apenas servir para fazer campanhas e não ter lugar nos processos de tomada de decisão. Foram estes os clamores dos presentes, contudo, os partidos políticos não se fizeram presentes à marcha embora tenham sido convidados. O momento cultural que brindou os presentes com música e poesia que abordavam temas ligados ao envolvimento da mulher nos processos eleitorais, coube a associação Lavatsongo. E por fim, houve uma oração de enceramento que foi conduzida pelo sheik Hassan, do CECES.

Histórias de Sucesso

Plano Nacional de Leitura
Plano Nacional de Leitura

A conferência teve a participação de cerca de 20 organizações juvenis e pro-juvenis e teve como oradores principais Celso Muianga (da Fundação Fernando Leite Couto), Osvaldo das Neves (Académico), Pedro Muiambo e André Cardoso (ambos da JOINT) e Albath da Cruz (Professor do nível secundário). Todos foram unánimes em afirmar a enorme importância que a leitura assume na socialização dos jovens nos dias de hoje e comprometeram-se a contribuir para o esforço de monitoria pública. No evento esteve presente Ermelinda Tinga, representante do Moza Banco, que congratulou a temática e garantiu que aquela instituição financeira iria fazer o seguimento do projecto e proporcionar os apoios que estivessem ao seu alcance. Segundo a sua directora-executiva, Iracema de Sousa, “a campanha pretende operacionalizar um papel de vanguarda da LaVatsongo no sentido de despoletar a contribuição da Sociedade Civil para a promoção da leitura através de acções de diálogo, concertações e advocacia, engajando todos os intervenientes interessados”. A nossa entrevistada comunicou-nos que a campanha prevê ainda a realização das seguintes intervenções: publicação das conclusões da conferência no Jornal e nas redes Sociais; elaboração de um plano de monitoria a ser usado por qualquer organização; marketing social do Programa Nacional de Acção sobre Leitura e Escrita junto das OSC, através da apresentação de resumos do seu conteúdo na conferência e publicação nos media.